L Liturgia

Liturgia de 20 de março de 2018

TERÇA FEIRA DA  V SEMANA DA QUARESMA
(Roxo pref. Paixão I, ofício do dia)

Antífona da entrada

 

- Espera no Senhor e sê corajoso! Fortifique-se teu coração; espera no Senhor!  (Sl 26,14).

Oração do dia

 

- Concedei-nos ó Deus, perseverar no vosso serviço para que, em nossos dias, cresça em número e santidade o povo que vos serve. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Nm 21,4-9

 

- Leitura do livro dos Números: Naqueles dias, 4os filhos de Israel partiram do monte Hor, pelo caminho que leva ao mar Vermelho, para contornarem o país de Edom. Durante a viagem, o povo começou a impacientar-se, 5e se pôs a falar contra Deus e contra Moisés, dizendo: “Por que nos fizestes sair do Egito para morrermos no deserto? Não há pão, falta água, e já estamos com nojo desse alimento miserável”. 6Então o Senhor mandou contra o povo serpentes venenosas, que os mordiam; e morreu muita gente em Israel. 7O povo foi ter com Moisés e disse: “Pecamos, falando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós as serpentes”. Moisés intercedeu pelo povo, 8e o Senhor respondeu: “Faze uma serpente abrasadora e coloca-a como sinal sobre uma haste; aquele que for mordido e olhar para ela viverá”. 9Moisés fez, pois, uma serpente de bronze e colocou-a como sinal sobre uma haste. Quando alguém era mordido por uma serpente, e olhava para a serpente de bronze, ficava curado.

 

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 102,2-3.16-18.19-21 (R: 2)

 

- Ouvi, Senhor, e escutai minha oração e chegue até vós o meu clamor.
R: Ouvi Senhor, e escutai minha oração e chegue até vós o meu clamor.


- Ouvi, Senhor, e escutai minha oração, e chegue até vós o meu clamor! De mim não oculteis a vossa face no dia em que estou angustiado! Inclinai o vosso ouvido para mim, ao invocar-vos atendei-me sem demora!

R: Ouvi Senhor, e escutai minha oração e chegue até vós o meu clamor.


- As nações respeitarão o vosso nome, e os reis de toda a terra, a vossa glória; quando o Senhor reconstruir Jerusalém e aparecer com gloriosa majestade, ele ouvirá a oração dos oprimidos e não desprezará a sua prece.

R: Ouvi Senhor, e escutai minha oração e chegue até vós o meu clamor.


- Para as futuras gerações se escreva isto, e um povo novo a ser criado louve a Deus. Ele inclinou-se de seu templo nas alturas, e o Senhor olhou a terra do alto céu, para os gemidos dos cativos escutar e da morte libertar os condenados.

R: Ouvi Senhor, e escutai minha oração e chegue até vós o meu clamor.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 8,21-30

 

Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor.

Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor.

 

- Semente é de Deus a palavra, o Cristo é o semeador; todo aquele que o encontra, vida eterna encontrou.

Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor.

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João

- Glória a vós, Senhor!  

 

- Naquele tempo disse Jesus aos fariseus: 21“Eu parto, e vós me procurareis, mas morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir”.
22Os judeus comentavam: “Por acaso, vai-se matar? Pois ele diz: ‘Para onde eu vou, vós não podeis ir’?” 23Jesus continuou: “Vós sois daqui debaixo, eu sou do alto. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. 24Disse-vos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditais que eu sou, morrereis nos vossos pecados”. 25Perguntaram-lhe pois: “Quem és tu, então?” Jesus respondeu: “O que vos digo, desde o começo. 26Tenho muitas coisas a dizer a vosso respeito, e a julgar, também. Mas aquele que me enviou é fidedigno, e o que ouvi da parte dele é o que falo para o mundo”.27Eles não compreenderam que lhes estava falando do Pai. 28Por isso, Jesus continuou: “Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que eu sou, e que nada faço por mim mesmo, mas apenas falo aquilo que o Pai me ensinou. 29Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é de seu agrado”. 30Enquanto Jesus assim falava, muitos acreditaram nele.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!   

 

Liturgia comentada
Então sabereis que eu Sou... (Jo 8,21-30)

Quando Jesus descansava na palha da manjedoura de Belém, era quase impossível identificar na frágil criancinha a sua divindade. Quando ele ajudava José na pobre oficina de Nazaré, dificilmente alguém perceberia a sua natureza divina no adolescente pobre. Quando, porém, Jesus foi cravado na cruz do Calvário, o centurião romano prontamente o reconheceu: “Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus!” (Mc 15,39)

É a cruz o “lugar” onde podemos identificar Jesus. As luzes do Tabor logo se apagam quando se cala a voz da nuvem. O estupor dos discípulos logo se desvanece quando as águas do lago voltam à calmaria. Mas é impossível ignorar a maneira como o Filho de Deus derramou seu sangue por nós...

Em sua discussão com os fariseus endurecidos na descrença, o próprio Jesus já tinha apontado para a solução do conflito: a cruz! Ele disse: “Quando vocês tiverem elevado o Filho do homem, então sabereis que Eu Sou...” Ora, “Eu Sou” é o nome de Deus, revelado a Moisés no episódio da sarça ardente (cf. Ex 3,14).

O Filho entregue pelo Pai, inestimável presente do Amor, é acolhido como pedra de tropeço, incômoda presença, motivo de argumentação e de exigência de sinais. Como diz Louis Bouyer, “o conflito terminará com a vitória aparente do poder das trevas, o qual age através de seus adversários, que ele mantém na escravidão. Mas este falso triunfo será, de fato, a sua derrota. O termo ‘elevar’, com o possível duplo sentido de crucificar ou exaltar, marca bem a confusão das trevas quando elas virem a Luz resplandecer da cruz onde elas acreditaram apagá-la. Este anúncio da Paixão é o primeiro que Jesus faz em público. Notaremos especialmente como São João anota, em seguida, que a glória de Cristo e sua Paixão são inseparáveis”.

O antigo hino litúrgico “Vexilla Regis” assim canta a vitória do Crucificado:

Avançam os estandartes do rei,
Brilha o mistério da cruz.
O Criador da carne, pela carne
É suspenso no madeiro.

Salve, ó altar! Salve, ó vítima,
Glória da paixão,
Pela qual a Vida levou à morte
E pela morte devolveu a vida!

Orai sem cessar: “Levanto os olhos para vós, que habitais nos céus.” (Sl 122,1)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos