L Liturgia

Liturgia de 22 de março de 2018

QUINTA FEIRA DA  V SEMANA DA QUARESMA
(Roxo, pref. paixãoI -  ofício do dia)

Antífona da entrada

 

- Cristo é o mediador de uma nova aliança, para que, por meio de sua morte, recebam os eleitos a herança eterna que lhes foi prometida (Hb 9,15).

Oração do dia

 

- Assisti, ó Deus, aqueles que vos suplicam e guardai com solicitude os que esperam em vossa misericórdia, para que, libertos de nossos pecados, levemos uma vida santa e sejamos herdeiros das vossas promessas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Gn 17,3-9

 

- Leitura do livro do Gênesis: Naqueles dias, 3Abrão prostrou-se com o rosto por terra. 4E Deus lhe disse: “Eis a minha aliança contigo: tu serás pai de uma multidão de nações. 5Já não te chamarás Abrão, mas o teu nome será Abraão, porque farei de ti o pai de uma multidão de nações. 6Farei crescer tua descendência infinitamente. Farei nascer de ti nações, e reis sairão de ti. 7Estabelecerei minha aliança entre mim e ti e teus descendentes para sempre; uma aliança eterna, para que eu seja teu Deus e o Deus de teus descendentes. 8A ti e aos teus descendentes darei a terra em que vives como estrangeiro, todo o país de Canaã como propriedade para sempre. E eu serei o Deus dos teus descendentes”. 9Deus disse a Abraão: “Guarda a minha aliança, tu e a tua descendência para sempre”.


- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 105,4-5.6-7.8-9 (R: 8a)

 

- O Senhor se lembra sempre da Aliança!

R: O Senhor se lembra sempre da Aliança!


- Procurai o Senhor teu Deus e seu poder, buscai constantemente a sua face! Lembrai as maravilhas que ele fez, seus prodígios e as palavras de seus lábios!

R: O Senhor se lembra sempre da Aliança!


- Descendentes de Abraão, seu servidor, e filhos de Jacó, seu escolhido, ele mesmo, o Senhor, é nosso Deus, vigoram suas leis em toda a terra.

R: O Senhor se lembra sempre da Aliança!


- Ele sempre se recorda da Aliança, promulgada a incontáveis gerações; da Aliança que ele fez com Abraão, e do seu santo juramento a Isaac.

R: O Senhor se lembra sempre da Aliança!

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 8,51-59

 

Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor!

Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor!

 

- Oxalá ouvísseis hoje sua voz. Não fecheis os corações como em Meriba!

 (Sl 94,8)

Glória a Cristo, palavra eterna do Pai, que é amor!

 

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João

- Glória a vós, Senhor!  

 

- Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: 51“Em verdade, em verdade vos digo: se alguém guardar a minha palavra, jamais verá a morte”. 52Disseram então os judeus: “Agora sabemos que tens um demônio. Abraão morreu e os profetas também, e tu dizes: ‘Se alguém guardar a minha palavra jamais verá a morte’. 53Acaso és maior do que nosso pai Abraão, que morreu, como também os profetas? Quem pretendes ser?” 54Jesus respondeu: “Se me glorifico a mim mesmo, minha glória não vale nada. Quem me glorifica é o meu Pai, aquele que vós dizeis ser o vosso Deus. 55No entanto, não o conheceis. Mas eu o conheço e, se dissesse que não o conheço, seria um mentiroso, como vós! Mas eu o conheço e guardo a sua palavra. 56Vosso pai Abraão exultou, por ver o meu dia; ele o viu, e alegrou-se”. 57Os judeus disseram-lhe então: “Nem sequer cinquenta anos tens, e viste Abraão!” 58Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade vos digo, antes que Abraão existisse, eu sou”. 59Então eles pegaram em pedras para apedrejar Jesus, mas ele escondeu-se e saiu do Templo.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!  

  

Liturgia comentada
Eu sou! (Jo 8,51-59)

Um dos sentidos do verbo “ser” está ligado à essência da pessoa. Todas as criaturas existem porque foram chamadas à vida pelo Criador. Só Deus, porém, pode dizer “eu sou” de forma radical e absoluta, pois só Deus “existia antes de todos os séculos”. Em seu magnífico prólogo, o evangelista João fala de Jesus Cristo, Verbo de Deus: “No princípio, era o Verbo [...] e o Verbo era Deus! [...] Tudo começou a existir por meio dele, e sem Ele nada se fez do que foi feito.” (Jo 1,1.3)

Nós, diferentemente, “somos” apenas a partir de nossa fecundação. Esta existência terrestre dura um tempo e se acaba, com nossa alma espiritual projetada na eternidade. Até os poetas líricos já perceberam que nosso “ser” passa, dura muito pouco. Assim, a Sagrada Escritura compara nossa existência à flor do campo ou à erva dos telhados, que fenecem e murcham ao fim de um único dia. Só Deus é eterno. Só Deus “é” de modo absoluto. Só Deus existe por si mesmo.

Não admira que, ao se apresentar a Moisés, no episódio da sarça ardente (Ex 3), o Senhor Deus assim lhe desse o seu Nome: “EU SOU”. O termo hebraico que traduzimos por Javé é, na verdade, uma sequência de 4 grafemas impronunciáveis (YHWH), derivada de antiga forma do verbo hawah (ser, ser atuante – diz a TEB). Para os hebreus da Primeira Aliança, este era o “nome” de Deus.

Ora, no Evangelho de hoje, Jesus Cristo se define exatamente com a mesma expressão: “Antes de Abraão existir, EU SOU!” É por isso que, entendendo sua frase como autêntica blasfêmia, seus ouvintes de pronto apanharam pedras para o lapidar. Uma leitura atenta dos Evangelhos virá nos revelar que Jesus insinuou a mesma definição em várias outras passagens, o que manifesta a consciência de sua unidade com o Pai, a consciência de ser algo mais que um simples mortal.

A nota da Bíblia de Jerusalém para Jo 8,24, comenta: “Atribuindo este nome a si mesmo – EU SOU -, Jesus se apresenta como o único e verdadeiro Salvador, para o qual tendiam a fé e a esperança de Israel (cf. Jo 8,28.58; 13, 19) e também Jo 6,35; 18,5.8).”

Nesta última passagem do Evangelho, no momento de sua prisão no Jardim das Oliveiras, diante dos guardas que procuravam prendê-lo, Jesus se entrega dizendo: SOU EU! E, diante do Nome de Deus, os soldados caem por terra... Era o mesmo nome que fazia tremer os demônios!

Jesus “é”. Afinal, recusar Jesus como Salvador significa dizer: “NÃO ÉS!” E assim começa o inferno...

Orai sem cessar: “O Senhor é nosso Rei, ele nos salvará!” (Is 33,22)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos