L Liturgia

Liturgia de 22 de maio de 2018

TERÇA-FEIRA DA VII SEMANA DO TEMPO COMUM
(cor verde - ofício do dia)

Antífona da entrada

- Confiei, Senhor, na vossa misericórdia; meu coração exulta porque me salvais. Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez (Sl 12,6).

Oração do dia

- Concedei, ó Deus todo poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos vossa vontade em nossas palavras e ações. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Tg 4,1-10


- Leitura da Carta de São Tiago: Caríssimos, 1de onde vêm as guerras? De onde vêm as brigas entre vós? Não vêm, justamente, das paixões que estão em conflito dentro de vós? 2Cobiçais, mas não conseguis ter. Matais e cultivais inveja, mas não conseguis êxito. Brigais e fazeis guerra, mas não conseguis possuir. E a razão está em que não pedis. 3Pedis, sim, mas não recebeis, porque pedis mal. Pois só quereis esbanjar o pedido nos vossos prazeres. 4Adúlteros, não sabeis que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Assim, todo aquele que pretende ser amigo do mundo toma-se inimigo de Deus. 5Ou julgais ser em vão que a Escritura diz: “Com ciúme anela o espírito que nos habita”? 6Mas ele nos dá uma graça maior. Por isso, a Escritura diz: “Deus resiste aos soberbos, mas concede a graça aos humildes”. 7Obedecei pois a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. 8Aproximai-vos de Deus, e ele se aproximará de vós. Purificai as mãos, ó pecadores, e santificai os corações, homens dúbios. 9Ficai tristes, vesti o luto e chorai. Transforme-se em luto o vosso riso, e a vossa alegria em desalento. 10Humilhai-vos diante do Senhor, e ele vos exaltará.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 55,7-8.9-10a.10b-11a.23 (R: 23a)

- Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!

R: Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!


- É por isso que eu digo na angústia: “Quem me dera ter asas de pomba e voar para achar um descanso! Fugiria, então, para longe, e me iria esconder no deserto.

R: Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!


- Acharia depressa um refúgio contra o vento, a procela, o tufão”. Ó Senhor, confundi as más línguas.

R: Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!


- Dispersai-as, porque na cidade só se vê violência e discórdia! Dia e noite circundam seus muros.

R: Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!


- Lança sobre o Senhor teus cuidados, porque ele há de ser teu sustento, e jamais ele irá permitir que o justo para sempre vacile!

R: Confia teus cuidados ao Senhor, e ele há de ser o teu sustento!

Aclamação ao santo Evangelho.

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

- Minha glória é a cruz do Senhor Cristo Jesus, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para este mundo (Gl 6, 14).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos: Mc 9,30-37


- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.

- Glória a vós, Senhor!

- Naquele tempo, 30Jesus e seus discípulos atravessaram a Galiléia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, 31pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: "O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão, mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará". 32Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar. 33Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: "Que discutíeis pelo caminho?" 34Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido qual deles seria o maior. 35Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: "Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!" 36Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles, e abraçando-a disse: 37"Quem acolher em meu nome uma dessas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas aquele que me enviou".

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

  

Liturgia comentada
Qual deles era o maior... (Mc 9,30-37)

O orgulho e a vaidade são traços dominantes no gênero humano. Nem precisamos de grandes motivos para deflagrar o orgulho em nosso coração. Uma historieta antiga serve de bom exemplo para nós...

A caminho da Terra Santa, em plena Idade Média, caminhavam juntos um beneditino, um dominicano e um franciscano. Os três frades passavam boa parte do tempo a decantar os louvores de sua própria Ordem. As comparações duraram longos meses. Até que, um dia, para pôr um ponto final no tema, o beneditino suspirou e disse:

- Tudo bem! Vocês têm razão. Mas, em liturgia, ninguém como nós!

E era verdade. O esplendor das liturgias dos filhos de São Bento sempre foi inigualável. O dominicano pigarreou e concordou:

- Tudo bem! Mas, na pregação, ninguém como nós!

Também era verdade. Como superar a oratória dos discípulos de S. Domingos?!

Houve uma pausa. Um breve silêncio. E os dois olharam para o filho de S. Francisco de Assis. Não fazia um belo quadro. A velha batina rota, empoeirada, toda remendos, sandálias fazendo água, a barba ruça já chegando ao peito... Mas o bom irmão não perdeu a pose. Raspou a garganta e atacou:

- Tudo bem!... Mas, em humildade... ninguém como nós!

Assim somos nós. Sempre achamos motivos para contar vantagens e nos destacarmos entre os nossos irmãos. Assim, ninguém apanhe pedras à beira do trilho para atacar os dois apóstolos do Evangelho de hoje. Chegando a Cafarnaum após dura caminhada, assim meio distraído, Jesus pergunta sobre o tema que causara entre eles algum tipo de controvérsia.

Silêncio total. É que eles discutiam – que santos alunos Jesus arranjara! – qual deles seria o maior. Podemos ajudá-los? 5 pescadores galileus, pele assada de sol, mãos grossas e o jeito bronco de roceiros, tudo realçado pelo sotaque caipira. 2 guerrilheiros (duas espadas! Cf. Lc 22,38) à espera de um Messias político. Um ex-cobrador de impostos, especialista em aumentar a cobrança e guardar um percentual... E vai por aí afora. Quem seria o maior?

Jesus puxa para o meio da roda uma criança que brincava ali perto. E aponta para ela: não percam tempo querendo ser grandes. Sejam pequeninos. E falando em pequenez, quem recebe um destes pequeninos em meu nome, é a mim que acolhe. Se vocês querem ser grandes, sejam o último da fila. Sejam aquele que se faz servo dos outros irmãos...

Orai sem cessar:O Senhor eleva os humildes.” (Sl 147,6)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos