L Liturgia

Liturgia de 15 de junho de 2018

SEXTA FEIRA - X SEMANA COMUM
(Verde - ofício do dia)

Antífona da entrada

 

-  O Senhor é minha luz e salvação, a quem poderia eu temer? O Senhor é o baluarte de minha vida, perante quem temerei? Meus opressores e inimigos, são eles que vacilam e sucumbem (Sl 26,1).

Oração do dia

 

- Ó Deus, fonte de todo bem, atendei ao nosso apelo e fazei-nos, por vossa inspiração, pensar o que é certo e realizá-lo com vossa ajuda. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: 1 Rs 19,9.11-16


- Leitura do Primeiro Livro dos Reis: Naqueles dias, ao chegar a Horeb, o monte de Deus, 9ao profeta Elias entrou numa gruta, onde passou a noite. E eis que a palavra do Senhor lhe foi dirigida nestes termos: 11“Sai e permanece sobre o monte diante do Senhor, porque o Senhor vai passar”. Antes do Senhor, porém, veio um vento impetuoso e forte, que desfazia as montanhas e quebrava os rochedos. Mas o Senhor não estava no vento. Depois do vento houve um terremoto. Mas o Senhor não estava no terremoto. 12Passado o terremoto, veio um fogo. Mas o Senhor não estava no fogo. E depois do fogo ouviu-se um murmúrio de uma leve brisa. 13Ouvindo isto, Elias cobriu o rosto com o manto, saiu e pôs-se à entrada da gruta. Ouviu, então, uma voz que dizia: “Que fazes aqui, Elias?” 14Ele respondeu: “Estou ardendo de zelo pelo Senhor, Deus todo-poderoso, porque os filhos de Israel abandonaram tua aliança, demoliram teus altares e mataram à espada teus profetas. Só eu escapei. Mas, agora, também querem matar-me”. 15O Senhor disse-lhe: “Vai e toma o teu caminho de volta, na direção do deserto de Damasco. Chegando lá, ungirás Hazael como rei da Síria. 16Unge também a Jeú, filho de Namsi, como rei de Israel, e a Eliseu, filho de Safat, de Abel-Meula, como profeta em teu lugar.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 27,7-9.13-14. (R: 8b)

- Senhor, é vossa face que eu procuro!

R: Senhor é vossa face que eu procuro!

 - Senhor, ouvi a voz do meu apelo, atendei por compaixão! Meu coração fala convosco confiante, é vossa face que eu procuro.

R: Senhor é vossa face que eu procuro!

- Não afasteis em vossa ira o vosso servo, sois vós o meu auxílio! Não me esqueçais nem me deixeis abandonado, meu Deus e Salvador!

R: Senhor é vossa face que eu procuro!

- Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!

R: Senhor é vossa face que eu procuro!

Aclamação ao santo Evangelho.

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

- Como os astros, no mundo brilheis, pregando a palavra da vida! (Fl 2,15).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 5, 27-32


- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

- Glória a vós, Senhor!

- Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 27“Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo: Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. 29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros, do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. 30Se tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo ir para o inferno. 31Foi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo: Todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

Liturgia comentada
Aquele que olhar para uma mulher... (Mt 5,27-32)

Não existe homem sem pecados... Alguns pecadores tornam-se visíveis quando seus atos exteriores vêm a público, como o assassino que saca da arma e fere a vítima com três tiros. Outros pecadores permanecem na sombra, como a mulher da vítima que, no silêncio de seu coração, alimenta planos de vingança e se recusa a apagar a chama do ódio. Aquele homicida é considerado um homem “desonesto”, mas esta mulher também o é, enquanto sua cólera surda (e muda) permanece igualmente assassina.

Assim, quando Jesus opõe a Lei mosaica - “Vós ouvistes o que foi dito aos antigos...” - à nova Lei do Sermão da Montanha, ele torna o ideal cristão ainda mais exigente. O mesmo acontece com os versículos seguintes (27-32), quando a noção de adultério já não está limitada a gestos concretos e palpáveis, mas inclui também as intenções mais íntimas do homem: “Aquele que olhar para uma mulher com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela em seu coração”. E é do coração do homem que brotam os adultérios...

Para evitar o pecado, Jesus recomenda o sacrifício, diz Hébert Roux. “Jesus não propõe uma ascese para chegar à pureza de coração, mas declara que tudo é preferível, mesmo a perda de um membro, antes que a perdição eterna.” Este “exagero” jamais será compreendido por alguém que ainda anão fez da entrada no Reino de Deus a prioridade de sua vida.

Segundo H. Roux, será necessário confrontar este texto do Sermão da Montanha com as exigentes palavras de Jesus sobre a renúncia (cf. Mt 10,37; 16,25) e aquelas igualmente duras dirigidas ao jovem rico (cf. Mt 19,21). Sem a disposição de acolher a “renúncia”, ninguém deixará pai e mãe para seguir a Cristo; ninguém abraçará a cruz como condição indispensável para ser seu discípulo. E foi a recusa da renúncia a seus bens materiais que impediu o jovem rico de seguir o Mestre.

Nos últimos tempos – tão diferente do tempo dos mártires primitivos! – nota-se a tendência a “amaciar” o Evangelho, a procura de um “jeitinho” mais palatável de ser cristão. É quando se ouvem expressões como estas: também, não precisa exagerar... Isto é muito radical! Deus quer a misericórdia, não o sacrifício – citação bíblica que alguém empregou para justificar um aborto!

E pensar que, em plena Primeira Aliança, muito antes de Jesus Cristo, a mãe israelita preferiu assistir à tortura e morte de sete filhos, antes que infringissem um preceito menor – a proibição de comer carne de porco (cf. 2Mac 7)!

Voltando ao tema deste Evangelho, muita gente acha normal assistir a filmes de erotismo, cenas de sexo explícito, novelas sensuais, programas de pornografia, sem perceber que estão alimentando seu próprio psiquismo para iniciar uma vida de corrupção e pecado.

Orai sem cessar: “Cria em mim, Senhor, um coração que seja puro!” (Sl 51,12)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos