L Liturgia

Liturgia de 14 de julho de 2018

SABADO – XIV SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – Ofício do dia)

Antífona da entrada

 

- Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, com o vosso nome, até os confins da terra; toda justiça se encontra em vossas mãos. (Sl 47,10)

Oração do dia

 

- Ó Deus, que  pela humilhação do vosso Filho, reerguestes o Mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e daí aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Is 6,1-8

- Leitura do Livro do Profeta Isaías: 1No ano da morte do rei Ozias, vi o Senhor sentado num trono de grande altura; o seu manto estendia-se pelo templo. 2Havia serafins de pé a seu lado; cada um tinha seis asas, duas cobriam-lhes o rosto, duas, os pés e, com duas, eles podiam voar. 3Eles exclamavam uns para os outros: “Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos; toda a terra está repleta de sua glória”. 4Ao clamor dessas vozes, começaram a tremer as portas em seus gonzos e o templo encheu-se de fumaça. 5Disse eu então: “Ai de mim, estou perdido! Sou apenas um homem de lábios impuros, mas eu vi com meus olhos o rei, o Senhor dos exércitos”. 6Nisto, um dos serafins voou para mim, tendo na mão uma brasa, que retirara do altar com uma tenaz, 7e tocou minha boca, dizendo: “Assim que isto tocou teus lábios, desapareceu tua culpa, e teu pecado está perdoado”. 8Ouvi a voz do Senhor que dizia: “Quem enviarei? Quem irá por nós? Eu respondi: “Aqui estou! Envia-me”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 93,1ab.1c-2.5 (R: 1a)

 

- Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.


- Deus é Rei e se vestiu de majestade, revestiu-se de poder e esplendor!

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.


- Vós firmastes o universo inabalável, vós firmastes vosso trono desde a origem, desde sempre, ó Senhor, vós existis!

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.


- Verdadeiros são os vossos testemunhos, refulge a santidade em vossa casa, pelos séculos dos séculos, Senhor!

R: Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.

 

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

- Felizes serei vós se fordes ultrajados por causa de Jesus, pois repousa sobre vós o Espírito de Deus  (1Pd 4,14).

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 10,24-33

 

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

- Glória a vós, Senhor!   

 

- Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 24“O discípulo não está acima do mestre, nem o servo acima do seu senhor. 25Para o discípulo, basta ser como o seu mestre, e para o servo, ser como o seu senhor. Se ao dono da casa eles chamaram de Bel­zebu, quanto mais aos seus familiares! 26Não tenhais medo deles, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido. 27O que vos digo na escuridão, dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, pro­clamai-o sobre os telhados! 28Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno! 29Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. 30Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. 31Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais. 32Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. 33Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!   

 

Liturgia comentada
Não tenhais medo! (Mt 10,24-33)

O medo está solto. Foi ele quem cercou as casas de grades e arame farpado, inventou o porteiro eletrônico e construiu guaritas na esquina. Ele faz a fortuna das empresas de segurança, cobrando por um produto que não podem entregar. Como disse o poeta, “o medo é uma flor de pânico apavorando os floricultores”...

Apesar dessa fobia universal – ou, talvez, antevendo-a... -, Jesus se dirige a seus missionários: “Não tenhais medo!” Estamos todos nas mãos do Pai, os pardais e todos nós. Sem esta convicção, continuaríamos trancados em casa.

  1. U. von Balthasar comenta a advertência de Jesus: “Por três vezes, encontramos nos evangelhos este “não temais”. Em uma delas, Jesus acrescenta aquilo que se deve temer. Não devemos temer tudo o que acontece no espírito da missão de Jesus. Primeiro, proclamar ‘sobre os telhados’ aquilo que foi ensinado pelo Senhor ‘no côncavo das orelhas’, pois está destinado a ser conhecido pelo mundo inteiro, e nada poderá opor-se a essa transmissão.

Naturalmente, com isso o pregador se expõe ao perigo; ele é ovelha no meio de lobos e deve esperar pelo martírio devido à sua pregação. É aí também que ele não deve temer: seus inimigos não podem atingir sua alma. Haveria um único inimigo a temer: aquele que faz perecer na Geena tanto a alma quanto o corpo; e isto não acontece se o pregador permanece fiel a sua missão.

Enfim, o cristão apóstolo não temerá porque, nas mãos do Pai, está muito mais protegido que ele imagina. Aquele que cuida dos pequenos animais, do mais insignificante fio de cabelo, quanto mais ele cuidaria de seus filhos? Aqui, Jesus fala de “vosso Pai”. “E o contexto o explica: o homem está em segurança em duração e amplitude enquanto cumpre sua missão cristã, ainda que exteriormente ele seja considerado um temerário.”

Agora podemos compreender a ousadia de um Francisco Xavier, atravessando os oceanos em uma casca de noz apelidada de navio. A serenidade de Anchieta, oferecendo-se como refém entre tamoios antropófagos. O arrojo do pastor Luther King na defesa de seus irmãos negros.

Estes – e muitos outros – preferiram o amor ao temor. Nossa equipe da pastoral carcerária, na Comunidade Católica Nova Aliança, rapidamente trocou o medo pela alegria, anunciando o Evangelho em um presídio de segurança máxima. E valeu a pena!

Orai sem cessar: “Na hora do medo, Senhor, em ti me refugio!” (Sl 56,4)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos