L Liturgia

Liturgia de 25 de agosto 2018

SABADO DA XX SEMANA COMUM
(verde - ofício do dia da IV semana)

Antífona da entrada

- Ó Deus, nosso protetor, volvei para nós o vosso olhar e contemplai a face do vosso ungido, porque um dia em vosso templo vale mais que outros mil (Sl 83, 10)

Oração do dia

- Ó Deus, preparastes para quem vos ama bens que nossos olhos não podem ver; acendei em nossos corações a chama da caridade para que, amando-vos em tudo e acima de tudo, corramos ao encontro das vossas promessas, que superam todo desejo. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Ez 43,1-7


- Leitura da profecia de Ezequiel: 1O homem conduziu-me até a porta da casa do Senhor que dá para o nascente, 2e eu vi a glória do Deus de Israel, vinda do oriente; um ruído a acompanhava, semelhante ao ruído de águas caudalosas, e a terra brilhava com a sua glória. 3A visão era idêntica à visão que tive quando ele veio destruir a cidade, bem como à visão que tive junto ao rio Cobar; e eu caí com o rosto no chão. 4A glória do Senhor entrou no Templo pela porta que dá para o nascente. 5Então o espírito raptou-me e me levou para dentro do pátio interno e eu vi que o Templo ficou cheio da glória do Senhor. 6Ouvi alguém falando-me de dentro do Templo, enquanto o homem esteve de pé junto a mim. 7aEle me disse: “Filho do homem, este é o lugar do meu trono, é o lugar em que coloco a planta dos meus pés, o lugar onde habitarei para sempre no meio dos israelitas”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 85,9ab-10.11-12.13-14 (R: 10b)

- A glória do Senhor habitará em nossa terra.

R: A glória do Senhor habitará em nossa terra.


- Quero ouvir o que o Senhor irá falar: é a paz que ele vai anunciar; Está perto a salvação dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.

R: A glória do Senhor habitará em nossa terra.


- A verdade e o amor se encontrarão, a justiça e a paz se abraçarão; da terra brotará a fidelidade, e a justiça olhará dos altos céus.

R: A glória do Senhor habitará em nossa terra.


- O Senhor nos dará tudo o que é bom, e a nossa terra nos dará suas colheitas; a justiça andará na sua frente e a salvação há de seguir os passos seus.

R: A glória do Senhor habitará em nossa terra.

Aclamação ao santo Evangelho.

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 - Vós tendes um só Pai, que está no céu, vosso guia é um somente, é o Messias (Mt 23,9).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 23,1-12


- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.

- Glória a vós, Senhor!

 - Naquele tempo, 1Jesus falou às multidões e aos seus discípulos: 2“Os mestres da Lei e os fariseus têm autoridade para interpretar a Lei de Moisés. 3Por isso, deveis fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imiteis suas ações! Pois eles falam e não praticam. 4Amarram pesados fardos e os colocam nos ombros dos outros, mas eles mesmos não estão dispostos a movê-los, nem sequer com um dedo. 5Fazem todas as suas ações só para serem vistos pelos outros. Eles usam faixas largas, com trechos da Escritura, na testa e nos braços, e põem na roupa longas franjas.6Gostam de lugar de honra nos banquetes e dos primeiros lugares nas sinagogas. 7Gostam de ser cumprimentados nas praças públicas e de serem chamados de Mestre. 8Quanto a vós, nunca vos deixeis chamar de Mestre, pois um só é vosso Mestre e todos vós sois irmãos.9Na terra, não chameis a ninguém de pai, pois um só é vosso Pai, aquele que está nos céus. 10Não deixeis que vos chamem de guias, pois um só é o vosso Guia, Cristo. 11Pelo contrário, o maior dentre vós deve ser aquele que vos serve. 12Quem se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

  

Liturgia comentada
Seja vosso servidor... (Mt 23,1-12)

Claro que, neste mundo, precisamos de mestres e guias. Ninguém nasce sabendo. Mesmo a sabedoria de Deus, em circunstâncias normais, chega até nós por meio de mediações humanas e, não, por revelações angélicas ao som das trombetas celestes.

O próprio Filho de Deus, ao se encarnar, precisou das orientações e dos exemplos de José, das lições e correções de Maria. Em suma, o que está no centro das palavras de Jesus não é uma ordem para recusar os ensinamentos das autoridades (inclusive da hierarquia eclesial!) ou para repelir a educação dos mais velhos. Cada geração herda da anterior (e com ela aprende) um rico acervo de usos e costumes, ferramentas de trabalho – como o idioma -, uma visão do mundo, uma tábua de valores éticos e – não nos esqueçamos – a própria fé!

O que Jesus nos ensina é que esses mestres e orientadores não são senhores, mas servidores. O conhecimento, a experiência acumulada, o poder político e a responsabilidade na família e nas comunidades devem ser vistos como instrumentos de trabalho que dispomos ao serviço daqueles que nos foram confiados. Tudo como um dom gracioso: “recebestes de graça, de graça dai!” (Mt 10,8.)

Além de assim nos ensinar, Jesus encarnou ao extremo esse modelo de serviço ao homem. Multiplicou os pães para a multidão, mas recusou-se a transformar as pedras em pães que matassem sua própria fome. Arriscou-se diante das hienas que queriam apedrejar a mulher adúltera, mas obrigou Pedro a guardar a única espada que poderia defendê-lo dos soldados que o prendiam. Curou os males de leprosos e paralíticos, mas rejeitou até mesmo a esponja de vinagre que poderia anestesiá-lo na hora extrema do Calvário.

Assim é Jesus: tem poder e sabedoria, mas para promover os outros, nunca a si mesmo. Pode convocar legiões de anjos a seu serviço, mas recusa defender-se. Podia ser aclamado como rei, mas sabia que era outra a sua missão.

Ai de nós, que orientamos nossos filhos para a profissão mais rentável! Que desejamos para nossas filhas o marido mais rico! Que julgamos estar fazendo favores quando desempenhamos nossa função de servidor público! Que consideramos um chato aquele que nos pede orientação e conselho! Que ficamos enfarados com nossos próprios filhos...

Quando começaremos a amar como Jesus?

Orai sem cessar: “Feliz o que se compraz no serviço do Senhor!” (Sl 1, 2)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos