L Liturgia

Liturgia de 26 de agosto de 2018

DOMINGO DA XXI DO TEMPO COMUM
(verde, glória, creio - I semana do saltério)

Antífona da entrada

- Inclinai, Senhor, o vosso ouvido e escutai-me, salvai, meu Deus, o servo que confia em vós. Tende compaixão de mim, clamo por vós o dia inteiro (Sl 85, 1).

Oração do dia

 

- Ó Deus, que unis os corações dos vossos fiéis num só desejo, dai ao vosso povo amar o que ordenais e esperar o que prometeis, para que, na instabilidade deste mundo, fixemos os nossos corações onde se encontram as verdadeiras alegrias. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Js 24, 1-2.15-18

- Leitura do livro de Josué: Naqueles dias, 1Josué reuniu em Siquém todas as tribos de Israel e convocou os anciãos, os chefes, os juízes e os magistrados, que se apresentaram diante de Deus. 2aEntão Josué falou a todo o povo: 15“Se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses, a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor”. 16E o povo respondeu, dizendo: “Longe de nós abandonarmos o Senhor para servir a deuses estranhos. 17Porque o Senhor, nosso Deus, ele mesmo é quem nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão. Foi ele quem realizou esses grandes prodígios diante de nossos olhos, e nos guardou por todos os caminhos, por onde peregrinamos, e no meio de todos os povos pelos quais passamos. 18bPortanto, nós também serviremos ao Senhor, porque ele é o nosso Deus”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 34,2-3.16-17.18-19.20-21.22-23 (R: 9a)

- Provai e vede quão suave é o Senhor!

R: Provai e vede quão suave é o Senhor!

 

- Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Minha alma se gloria no Senhor, que ouçam os humildes e se alegrem!

R: Provai e vede quão suave é o Senhor!

 

- O Senhor pousa seus olhos sobre os justos, e seu ouvido está atento ao seu chamado; mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança.

R: Provai e vede quão suave é o Senhor!

 

- Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta. Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido.

R: Provai e vede quão suave é o Senhor!

 

- Muitos males se abatem sobre os justos, mas o Senhor de todos eles os liberta. Mesmo os seus ossos ele os guarda e os protege, e nenhum deles haverá de se quebrar.

R: Provai e vede quão suave é o Senhor!

 

- A malícia do iníquo leva à morte, e quem odeia o justo é castigado. Mas o Senhor liberta a vida dos seus servos, e castigado não será quem nele espera.

R: Provai e vede quão suave é o Senhor!

2ª Leitura: Ef 5, 21-32


- Carta de são Paulo apóstolo aos Efésios: Irmãos: 21Vós, que temeis a Cristo, sede solícitos uns para com os outros. 22As mulheres sejam submissas aos seus maridos como ao Senhor. 23Pois o marido é a cabeça da mulher, do mesmo modo que Cristo é a cabeça da Igreja, ele, o Salvador do seu Corpo. 24Mas, como a Igreja é solícita por Cristo, sejam as mulheres solícitas em tudo pelos seus maridos. 25Maridos, amai as vossas mulheres, como o Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. 26Ele quis assim torná-la santa, purificando-a com o banho da água unida à Palavra. 27Ele quis apresentá-la a si mesmo esplêndida, sem mancha nem ruga, nem defeito algum, mas santa e irrepreensível. 28Assim é que o marido deve amar a sua mulher, como ao seu próprio corpo. Aquele que ama a sua mulher ama-se a si mesmo. 29Ninguém jamais odiou a sua própria carne. Ao contrário, alimenta-a e cerca-a de cuidados, como o Cristo faz com a sua Igreja; 30e nós somos membros do seu corpo! 31Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne. 32Este mistério é grande, e eu o interpreto em relação a Cristo e à Igreja.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Aclamação ao santo Evangelho.

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 - Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida; as palavras que dizeis, bem que são de eterna vida (Jo 6,63.68).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 6, 60-69


- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.

- Glória a vós, Senhor!

- Naquele tempo, 60muitos dos discípulos de Jesus, que o escutaram, disseram: “Esta palavra é dura. Quem consegue escutá-la?” 61Sabendo que seus discípulos estavam murmurando por causa disso mesmo, Jesus perguntou: “Isto vos escandaliza? 62E quando virdes o Filho do Homem subindo para onde estava antes? 63O Espírito é que dá vida, a carne não adianta nada. As palavras que vos falei são espírito e vida. 64Mas entre vós há alguns que não crêem”. Jesus sabia, desde o início, quem eram os que não tinham fé e quem havia de entregá-lo. 65E acrescentou: “É por isso que vos disse: ninguém pode vir a mim, a não ser que lhe seja concedido pelo Pai”. 66A partir daquele momento, muitos discípulos voltaram atrás e não andavam mais com ele.
67Então, Jesus disse aos doze: “Vós também vos quereis ir embora?”
68Simão Pedro respondeu: “A quem iremos nós, Senhor? Tu tens palavras de vida eterna. 69Nós cremos firmemente e reconhecemos que tu és o Santo de Deus”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

Liturgia comentada
Muitos o abandonaram... (Jo 6,60-69)

Geração após geração, alguém avalia que Jesus está exigindo demais e logo pula fora da barca. É assim, hoje, quando a Igreja repete os ensinamentos de Jesus a respeito da indissolubilidade do matrimônio cristão, ou sobre o aspecto sagrado da vida humana, desde a concepção até a morte natural, ou ainda a respeito da incompatibilidade do aborto com o “não matarás”.

Neste Evangelho, o núcleo da “revolta” é a Eucaristia. Jesus acabara de anunciar seu corpo e sangue como alimento que nos dá a vida eterna (cf. Jo 6,35-40). Os ouvidos “naturais” de muitos dos presentes entenderam a mensagem como uma proposta de canibalismo. Por isso mesmo, como registra o evangelista João, “a partir daquele momento, muitos discípulos o abandonaram e não mais andavam com ele”.

No tempo de Josué (cf. Js 24), o sucessor de Moisés pôs a assembleia de Israel contra a parede: “A quem quereis seguir?” E cobrava uma decisão imediata, sem meias-medidas, sem “jeitinhos” e saídas açucaradas. Agora, com Jesus, a decisão dos ouvintes diante da sua proposta se torna ainda mais inexorável – comenta o teólogo Hans Urs von Balthasar. E prossegue:

“E como ele não retira nada do que havia dito, a tal ponto a proposta parece “forte demais” aos ouvintes, que eles são colocados diante da mais dura provação. E Jesus agrava ainda mais sua declaração diante dos discípulos com a predição de sua ascensão ao Pai, e reivindica para todas as suas palavras a qualidade de serem ‘espirito e vida’.

Com isso, entre os próprios discípulos desenha-se um traço de separação que Jesus conhece por antecipação; aqui já se decidiu quem o seguirá na fé e quem o irá trair. Não existe neutralidade. O Evangelho fala de ‘numerosos de seus discípulos’ que se afastam. Judas não é o único a não crer.

Para Jesus, não interessa a quantidade. É por isso que ele coloca especialmente os Doze diante da escolha: ‘Vocês também querem partir?’ Pedro se manifesta em nome do pequeno grupo daqueles que permanecem fiéis à palavra de fé, e declara que Jesus é ‘o Santo de Deus’. “A fé o conduziu ao conhecimento, e o conhecimento tornou possível uma fé inteiramente cega, que é exigida nesta decisão.”

É impossível viver um Evangelho self-service, conforme nossas conveniências.

Orai sem cessar: “Eu e minha casa serviremos ao Senhor!” (Js 24,15b)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos