L Liturgia

Liturgia de 27 de agosto de 2018

SEGUNDA FEIRA – SANTA MÔNICA – ESPOSA E MÃE
(Branco, pref. dos santos, ofício da memória)

Antífona da entrada

 

- A mulher que teme a Deus será louvada; seus filhos a proclamam feliz e seu marido a elogia (Pr 31,30.28).

 

Oração do dia

 

- Ó Deus, consolação dos que choram, que acolhestes misericordioso as lágrimas de santa Mônica pela conversão de seu filho Agostinho, dai-nos, pela intercessão de ambos, chorar os nossos pecados e alcançar o vosso perdão. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: 2Ts 1,1-5.11-12

 

- Leitura da segunda carta de são Paulo aos Tessalonicenses: 1Paulo, Silvano e Timóteo, à Igreja dos Tessalonicenses reunida em Deus nosso Pai e no Senhor Jesus Cristo: 2a vós, graça e paz da parte de Deus Pai e do Senhor Jesus Cristo. 3Devemos agradecer sempre por vós, irmãos, com toda justiça, porque progredis sempre mais na fé e porque aumenta a caridade que tendes uns para com os outros. 4Assim, nos gloriamos nas Igrejas de Deus por causa da vossa perseverança e da vossa fé em todas as perseguições e sofrimentos que suportais. 5Estes constituem um sinal do justo juízo de Deus, pois servem para serdes julgados dignos do reino de Deus, pelo qual também estais sofrendo. 11bQue o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação. Que ele, por seu poder, realize todo o bem que desejais e torne ativa a vossa fé. 12Assim o nome de nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós nele, em virtude da graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 96,1-2a.2b-3.4-5 (R: 3)

 

- Anunciai as maravilhas do Senhor entre todas as nações!

R: Anunciai as maravilhas do Senhor entre todas as nações!


- Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! Cantai e bendizei seu santo nome!

R: Anunciai as maravilhas do Senhor entre todas as nações!


- Dia após dia anunciai sua salvação, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

R: Anunciai as maravilhas do Senhor entre todas as nações!


- Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses; porque um nada são os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

R: Anunciai as maravilhas do Senhor entre todas as nações!


Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

- Minhas ovelhas escutam minha voz, eu as conheço e elas me seguem

(Jo 10,27).

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Mateus: Mt 23,13-22

 

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus

- Glória a vós, Senhor!   

 

- Naquele tempo, disse Jesus: 13“Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós fechais o Reino dos Céus aos homens. Vós porém não entrais, 14nem deixais entrar aqueles que o desejam. 15Ai de vós, mestres da Lei e fariseus hipócritas! Vós percorreis o mar e a terra para converter alguém, e quando conseguis, o tornais merecedor do inferno, duas vezes pior do que vós.
16Ai de vós, guias cegos! Vós dizeis: ‘Se alguém jura pelo Templo, não vale; mas, se alguém jura pelo ouro do Templo, então vale!’ 17Insensatos e cegos! O que vale mais: o ouro ou o Templo que santifica o ouro? 18Vós dizeis também: ‘Se alguém jura pelo altar, não vale; mas, se alguém jura pela oferta que está sobre o altar, então vale!’ 19Cegos! O que vale mais: a oferta, ou o altar que santifica a oferta? 20Com efeito, quem jura pelo altar, jura por ele e por tudo o que está sobre ele. 21E quem jura pelo Templo, jura por ele e por Deus que habita no Templo. 22E quem jura pelo céu, jura pelo trono de Deus e por aquele que nele está sentado”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

Liturgia comentada
Ai de vós, guias cegos! (Mt 23,13-22)

No tempo de Jesus, o Povo Escolhido estava sob dominação romana, cujo Império envolvia todo o litoral do Mediterrâneo. Até as autoridades religiosas se acomodavam à cultura pagã, esforçando-se por não perderem seus privilégios. Do ponto de vista religioso, a massa não recebia os cuidados pastorais. Era até mesmo desprezada pelos homens do Templo, pelos escribas e fariseus (cf. Jo 7,48-49).

Conhecedores da Lei e dos profetas, as lideranças religiosas deveriam ter reconhecido em Jesus o Messias prometido, mas resistiram a isso. Por isso mesmo, mereceram de Jesus o rótulo de “cegos e guias de cegos” (Lc 6,39). Foram até provocados pelo Mestre, que falava em parábolas exatamente para que não entendessem a mensagem: “para que, vendo, não vejam...” (Lc 8,10.)

De certo modo, o povo diz o mesmo com o provérbio: “ninguém dá o que não tem”. E tem razão. Como os pais darão formação religiosa a seus filhos se eles mesmos são ignorantes na matéria? Como os mestres universitários orientarão os seus alunos, se eles mesmos são desorientados em sua vida pessoal? O ministro de Deus poderá cumprir sua missão se ele mesmo não tem tempo para viver na intimidade do Senhor?

A mesma cegueira se verifica em autores, filósofos e pensadores que são adotados como gurus da sociedade, mas foram profundamente erráticos e infelizes em sua vida pessoal? Tal como Jean Paul Sartre, um dos pais do existencialismo moderno, que morreu urrando como um animal. Ou como Sigmund Freud, que ainda possui um exército de adoradores, mas viveu cheio de fobias, dependente de drogas, afastou a maior parte de seus amigos, atacando-os com os piores qualificativos, e recebia da filha Anna cartas iniciadas pelo vocativo: “Querido demônio”.

Seriam esses os guias para nossos filhos? Pois são modelos nas universidades, onde se faz a mais deslavada campanha para erradicar a fé de nossa juventude. Ali, os valores cristãos são combatidos, alvo de zombaria e escárnio. E os pais pagam caro para expor seus filhos a esta demolição... Eles deviam acreditar mais em si mesmos: apoiados na oração, sustentados pela Palavra de Deus e pelos sacramentos, dariam eles mesmos aos filhos a base de uma vida feliz, segundo os desígnios de Deus.

Estariam eles dispostos a ser os olhos para seus filhos?

Orai sem cessar: “Tenho os olhos sempre no Senhor!” (Sl 25,15)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos