L Liturgia

Liturgia de 26 de setembro de 2018

QUARTA FEIRA – XXV SEMANA DO TEMPO COMUM
(verde – ofício do dia)

Antífona da entrada

 

- Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor. Se chamar por mim em qualquer provação, eu o ouvirei e serei seu Deus para sempre.

 

Oração do dia

 

- Ó Pai, que resumistes toda lei no amor a Deus e ao próximo, fazei que, observando o vosso mandamento, consigamos chegar um dia à vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Pr 30,5-9

 

- Leitura do livro dos Provérbios: 5A Palavra de Deus é comprovada. Ele é um escudo para os que nele se abrigam. 6Não acrescentes nada às suas palavras, para que ele não te repreenda e passes por mentiroso! 7Duas coisas eu te pedi; não mas recuses, antes de eu morrer: 8afasta de mim a falsidade e a mentira, não me dês pobreza nem riqueza, mas concede-me o pão que me é necessário. 9Não aconteça que, saciado, eu te renegue e diga: “quem é o Senhor?” Ou que, empobrecido, eu me ponha a roubar e profane o nome de meu Deus.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 119,29.72.89.101.104.163 (R: 105a)

 

- Vossa palavra é uma luz para os meus passos!

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


- Afastai-me do caminho da mentira e dai-me a vossa lei quanto um presente!

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


- A lei de vossa boca, para mim, vale mais do que milhões em ouro e prata.

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


- É eterna, ó Senhor, vossa palavra, ela é tão firme e estável quanto o céu.

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


- De todo mau caminho afasto os passos, para que eu siga fielmente as vossas ordens.

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


- De vossa lei eu recebi inteligência, por isso odeio os caminhos da mentira.

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


- Eu odeio e detesto a falsidade, porém amo vossas leis e mandamentos!

R: Vossa palavra é uma luz para os meus passos!


Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

- Convertei-vos e crede no evangelho, pois o reino de Deus está chegando!

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 9,1-6

 

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas

- Glória a vós, Senhor!   

- Naquele tempo, 1Jesus convocou os Doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças, 2e enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado nem sacola nem pão nem dinheiro nem mesmo duas túnicas. 4Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. 5Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés, como protesto contra eles”. 6Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa Nova e fazendo curas em todos os lugares.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

 

Liturgia comentada
Anunciar a Boa Nova! (Lc 9, 1-6)

Os apóstolos são enviados por Jesus em direção ao povo. Isto é, eles são portadores de uma “boa notícia”. Tal como o anjo do Natal que, quando Jesus nasceu em Belém de Judá, foi até os pastores acampados para lhes dizer: “Eu vos anuncio uma grande alegria, para todo o povo: nasceu-vos hoje... um Salvador!” (Lc 1, 11) A palavra Evangelho significa literalmente Boa Notícia, Boa Nova. E a boa notícia que os apóstolos levam ao povo é o próprio anúncio de Jesus, o Filho de Deus que desceu do Pai e armou sua tenda no meio de nós (cf. Jo 1, 14). Para um povo que esperava há séculos, pacientemente, pela vinda do Messias de Deus, não podia haver notícia melhor.

Claro que nem todos veem assim. Uma vez, quando Jesus expulsou uma legião de demônios de um possesso e os maus espíritos impeliram 2000 porcos para o abismo, à beira-mar (cf. Lc 8, 33ss), os moradores da região imploraram a Jesus que deixasse logo a região para evitar que lhes desse maiores prejuízos. Para muita gente, ainda hoje, Jesus e seu Evangelho continuam sendo uma péssima notícia, pois atrapalham os seus projetos pagãos de acumulação material, dominação política e escravidão social.

No momento do envio em missão, Jesus confere aos apóstolos “poder e autoridade”; isto é, como eles vão “em nome de Jesus Cristo”, são também portadores dos sinais que Jesus realizava: curar os enfermos de suas doenças e expulsar os possessos de seus demônios. Sua ação englobava o físico (enfermidades) e o espiritual (infestação demoníaca).

A onda racionalista que assola o Ocidente se insurge contra ambas as realidades: por um lado, alega que doença é assunto para o médico; por outro, jura que os demônios não existem. Ora, a Igreja de Jesus Cristo tem dois sacramentos de cura (unção dos enfermos e confissão) e seu Ritual inclui o exorcismo (ministério típico dos sacerdotes, observa o Código de Direito Canônico). Por outro lado, como ficariam os apóstolos diante do povo se fizessem este anúncio: “Temos uma Boa Notícia para vocês: se estiverem doentes, vão ao posto de saúde; se estiverem perturbados, deve ser imaginação de vocês...”

Se Jesus não cura nem liberta, onde está a Boa Nova???

Orai sem cessar: “É o Senhor quem sara as tuas enfermidades!” (Sl 103 [102], 3)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos