L Liturgia

Liturgia de 25 de outubro de 2018

QUINTA FEIRA – SANTO ANTÔNIO GALVÃO - PRESBÍTERO
(branco, pref. comum ou dos pastores - ofício da memória)

Antífona da entrada

 

- Eu vos darei pastores segundo o meu coração, que vos conduzam com inteligência e sabedoria (Jr 3,15).

 

Oração do dia

 

- Ó Deus, Pai de misericórdia, que fizestes do santo Antônio de Santana Galvão um instrumento de caridade e de paz no meio dos irmãos, concedei-nos, por sua intercessão, favorecer sempre a verdadeira concórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Ef 3,14-21

 

- Leitura da carta de são Paulo aos Efésio: Irmãos, 14eu dobro os joelhos diante do Pai, 15de quem toda e qualquer família recebe seu nome, no céu e sobre a terra. 16Que ele vos conceda, segundo a riqueza de sua glória, serdes robustecidos, por seu Espírito, quanto ao homem interior, 17que ele faça habitar, pela fé, Cristo em vossos corações, que estejais enraizados e fundados no amor. 18Tereis assim a capacidade de compreender, com todos os santos, qual a largura, o comprimento, a altura, a profundidade, 19e de conhecer o amor de Cristo, que ultrapassa todo o conhecimento, a fim de que sejais cumulados até receber toda a plenitude de Deus. 20Àquele que tudo pode realizar superabundantemente, e muito mais do que nós pedimos ou concebemos, e cujo poder atua em nós, 21a ele glória, na Igreja e em Jesus Cristo, por todas as gerações, para sempre. Amém.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

 

Salmo Responsorial: Sl 33,1-2.4-5.11-12.18-19 (R: 5b)

 

- Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!


- Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Aos retos fica bem glorificá-lo. Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas celebrai-o!

R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!


- Pois reta é a palavra do Senhor, e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.

R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!


- Mas os desígnios do Senhor são para sempre, e os pensamentos que ele traz no coração, de geração em geração, vão perdurar. Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança!

R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!


- Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.

R: Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

- Eu tudo considero como perda e como lixo a fim de eu ganhar Cristo e ser achado nele! (Fl 3,8).

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 12,49-53

 

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas

- Glória a vós, Senhor!   

- Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 49“Eu vim para lançar fogo sobre a terra, e como gostaria que já estivesse aceso! 50Devo receber um batis­mo, e como estou ansioso até que isto se cumpra!  51Vós pensais que eu vim trazer a paz sobre a terra? Pelo contrário, eu vos digo, vim trazer a divisão. 52Pois, daqui em diante, numa família de cinco pessoas, três ficarão divididas contra duas e duas contra três; 53ficarão divididos: o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora e a nora contra a sogra”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

  

Liturgia comentada
Fogo sobre a Terra... (Lc 12,49-53)

O simbolismo do fogo sempre acompanhou as manifestações divinas. Foi a sarça em fogo que atraiu Moisés para o encontro com o Senhor Yahweh (cf. Ex 3). A experiência de Deus acende braseiros no coração do adorador, como anotou o salmista: “Meu coração queimava dentro de mim, / ao meditar nisto o fogo se inflamava”. (Sl 39,4) Mais recentemente, São Serafim de Sarov saía de seu tempo de oração despedindo chispas de fogo.

Na manhã de Pentecostes, quando se cumpriu a promessa do Pai, com a vinda do Espírito Santo sobre o primeiro grupo da Igreja (cf. At 2), o ruído do Vento divino se fez acompanhar de línguas de fogo, “que se repartiram pousaram sobre cada um deles”.

De que fogo falava Jesus, quando anunciava um incêndio a ser ateado no planeta? Eis a resposta de Urs von Balthasar:

“O fogo que, no Evangelho, Jesus veio lançar sobre a terra, é o fogo do amor divino que deve envolver os homens. É a partir da cruz, o temido batismo, que ele começará a arder. Mas não são todos – longe disso! – que se deixarão tomar pela exigência absoluta desse fogo, se bem que este amor, que amaria, e assim o poderia, conduzir os homens à unidade, divide-os por causa de sua resistência.

Mais nítida e inexoravelmente que antes de Cristo, a humanidade se dividirá em dois reinos ou agrupamento de Estados, que Agostinho chama a “Cidade de Deus”, dominada pelo amor, e a “Cidade deste mundo”, dominada pela cobiça.

Jesus mostra que a divisão corta ao meio os vínculos familiares mais estreitos e, segundo a descrição de São Paulo, passa até mesmo pelo coração, onde a carne luta contra o espírito (cf. Gl 5,17), e o “homem infeliz” não faz o ele desejaria, mas faz aquilo que, no fundo, ele aborrece.

Portanto, isto não é – nem para Jesus, nem para Paulo – uma trágica fatalidade; é um combate que deve ser mantido até a vitória: o amor e o ódio não são dois princípios igualmente eternos (como o pensavam os maniqueus), mas nós podemos “vencer o mal pelo bem” (Rm 12,21). E é para isto que nós recebemos a graça divina.”

Afinal, que é um santo, senão uma pessoa que se aproximou de Deus e se deixou queimar?

Orai sem cessar: “Parecia um fogo a queimar-me por dentro...” (Jr 20,9)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos