L Liturgia

Liturgia de 25 de novembro de 2018

DOMINGO - NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, REI DO UNIVERSO
(cor branco - ofício da solenidade)

Antífona da entrada

- O Cordeiro que foi imolado é digno de receber o poder, a divindade, a sabedoria, a força e a honra. A ele glória e poder através dos séculos (Ap 5,12; 1,6).

Oração do dia

 

- Deus eterno e todo-poderoso, que dispusestes restaurar todas as coisas no vosso amado Filho, rei do universo, fazei que todas as criaturas, libertas da escravidão e servindo à vossa majestade, vos glorifiquem eternamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Dn 7, 13-14


- Leitura da profecia de Daniel: 13“Continuei insistindo na visão noturna, e eis que, entre as nuvens do céu, vinha um como filho de homem, aproximando-se do Ancião de muitos dias, e foi conduzido à sua presença. 14Foram-lhe dados poder, glória e realeza, e todos os povos, nações e línguas o serviam; seu poder é um poder eterno que não lhe será tirado, e seu reino, um reino que não se dissolverá”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 93, 1ab.1c-2.5 (R: 1a)

- Deus é rei e se vestiu de majestade, glória ao Senhor!

R: Deus é rei e se vestiu de majestade, glória ao Senhor!

- Deus é Rei e se vestiu de majestade, revestiu-se de poder e de esplendor!

R: Deus é rei e se vestiu de majestade, glória ao Senhor!

- Vós firmastes o universo inabalável, vós firmastes vosso trono desde a origem, desde sempre, ó Senhor, vós existis!

R: Deus é rei e se vestiu de majestade, glória ao Senhor!

- Verdadeiros são os vossos testemunhos, refulge a santidade em vossa casa, pelos séculos dos séculos, Senhor!

R: Deus é rei e se vestiu de majestade, glória ao Senhor!

2ª Leitura: Ap 1, 5-8


- Leitura do livro do Apocalipse - 5Jesus Cristo é a testemunha fiel, o primeiro a ressuscitar dentre os mortos, o soberano dos reis da terra. A Jesus, que nos ama, que por seu sangue nos libertou dos nossos pecados 6e que fez de nós um reino, sacerdotes para seu Deus e Pai, a ele a glória e o poder, em eternidade. Amém.  7Olhai! Ele vem com as nuvens, e todos os olhos o verão, também aqueles que o traspassaram. Todas as tribos da terra baterão no peito por causa dele. Sim. Amém! 8“Eu sou o Alfa e o Ômega”, diz o Senhor Deus, “aquele que é, que era e que vem, o Todo-poderoso”.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Aclamação ao santo Evangelho.

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

 

 - É bendito aquele que vem vindo, que vem vindo em nome do Senhor; e o reino que vem seja bendito; ao que vem e a seu reino, o louvor! (Mc 11,9)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo João: Jo 18, 33-37


- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.

- Glória a vós, Senhor!

- Naquele tempo, Naquele tempo, 33bPilatos chamou Jesus e perguntou-lhe: “Tu és o rei dos judeus?” 34Jesus respondeu: “Estás dizendo isto por ti mesmo ou outros te disseram isto de mim?” 35Pilatos falou: “Por acaso sou judeu? O teu povo e os sumos sacerdotes te entregaram a mim. Que fizeste?” 36Jesus respondeu: “O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas lutariam para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui”. 37Pilatos disse a Jesus: “Então tu és rei?”  Jesus respondeu: “Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!



Liturgia comentada
Eu sou rei! (Jo 18,33b-37)

A vida e a missão de Jesus chegam ao seu clímax. Preso, ele é levado ao governador romano, sob a acusação de proclamar-se rei e declarar-se contra César, o imperador. Um crime punível com a pena capital. Por trás da acusação, os dedos culpáveis dos chefes religiosos dos judeus. Os gestos e as palavras de Jesus abalavam a segurança do poder religioso e ameaçavam o sistema, com suas regalias e sua ordem estabelecida. Como reage Jesus na posição de réu?

Assim comenta o teólogo Hans Urs von Balthasar: “Até agora, quando queriam fazê-lo rei, Jesus se tinha esquivado, como se se tratasse de um mal-entendido (cf. Jo 6,15). Agora, porém, quando caminha para sua crucificação, ele pode e deve justificar-se como a pessoa que ele é: origem e termo do mundo [alfa e ômega], como é chamado no Apocalipse.

Agora, os inevitáveis mal-entendidos não importam mais. Pilatos não compreenderá a essência de sua reivindicação de realeza, e os judeus o rejeitarão. Mas Jesus a mantém: ‘Tu o dizes! Eu sou rei’, porque ‘eu só vim ao mundo para dar testemunho da verdade’.

A verdade é o amor do Pai pelo mundo, que o Filho apresenta em sua vida, sua morte e sua ressurreição. A cruz é a prova dessa verdade: o Pai ama tanto a sua criação, que ele permite isto. E a inscrição sobre a cruz, colocada por Pilatos, nas três línguas do mundo, atesta, sem o saber, esta verdade para todos.

Com toda segurança, pode-se dizer que Jesus, humilhado até a morte de cruz, foi instituído por sua ressurreição dos mortos como o soberano do mundo inteiro. Mas isto é possível unicamente porque, desde toda a eternidade, ele havia sido escolhido para esta realeza, e até mesmo sempre fora investido dela, na medida em que a criação do mundo jamais teria ocorrido sem a previsão de sua cruz (cf. 1Pd 1,19-20). Jesus é investido em uma dignidade que ele possuía desde sempre.”

No último domingo do ano litúrgico, a Igreja celebra a solenidade de Cristo, Rei do Universo. Muito além do que podiam temer César e Pilatos, aquele réu em juízo não era apenas o rei de Israel ou de um dos impérios humanos: todo o Cosmo, toda a Criação sempre haviam estado sob o domínio do Filho de Deus. Um rei supratemporal, o único que não estava sujeito à passagem do tempo, nem herdava seu senhoria como herança do rei anterior.

Só Jesus Cristo, homem e Deus, morto e ressuscitado, é “aquele que é, que era e que vem” (Ap 1,5), o “soberano dos reis da terra” (Ap 1,6).

Orai sem cessar: “Sua majestade resplandece sobre o céu e a terra!” (Sl 148,13)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos