L Liturgia

Liturgia de 31 de janeiro de 2019

QUINTA FEIRA - SÃO JOÃO BOSCO, PRESBÍTERO E FUNDADOR.
 (branco pref. comum ou dos pastores - ofício da memória)

Antífona da entrada

- Deixai vir a mim os pequeninos e não impeçais, diz o Senhor. O reino do céu pertence aos que parecem com eles (Mc 10,14).

Oração do dia

- Ó Deus, que suscitastes são João Bosco para educador e pai dos adolescentes, fazei que, inflamados da mesma caridade, procuremos a salvação de nossos irmãos, colocando-nos inteiramente ao vosso serviço. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Hb 10,19-25


- Leitura da carta aos Hebreus: 19Sendo assim, irmãos, temos plena liberdade para entrar no Santuário, pelo sangue de Jesus. 20Ele nos abriu um caminho novo e vivo, através da cortina, quer dizer, através da sua humanidade. 21Temos um grande sacerdote constituído sobre a casa de Deus. 22Aproximemo-nos, portanto, de coração sincero e cheio de fé, com coração purificado de toda má consciência e o corpo lavado com água pura.
23Sem desânimo, continuemos a afirmar a nossa esperança, porque é fiel quem fez a promessa. 24Sejamos atentos uns aos outros, para nos incentivar à caridade e às boas obras. 25Não abandonemos as nossas assembleias, como alguns costumam fazer. Antes, procuremos animar-nos mutuamente, e tanto mais quanto vedes o dia aproximar-se.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 24,1-2.3-4AB.5-6 (R: 6)

 

- É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.

R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.


- Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, o mundo inteiro com os seres que o povoam; porque ele a tornou firme sobre os mares, e sobre as águas a mantém inabalável.

R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.


- “Quem subirá até o monte do Senhor, quem ficará em sua santa habitação?”

Quem tem mãos puras e inocente coração, quem não dirige sua mente para o crime”.

R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.


- “Sobre este desce a bênção do Senhor e a recompensa de seu Deus e Salvador”. “É assim a geração dos que o procuram, e do Deus de Israel buscam a face.”

R: É assim a geração dos que buscam a vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.

Aclamação ao santo Evangelho

 

 Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

- Vossa palavra é uma luz para os meus passos e uma lâmpada luzente em meu caminho (Sl 118,105)..

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos: Mc 4,21-25

- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.

- Glória a vós, Senhor!

-  Naquele tempo, Jesus disse à multidão: 21“Quem é que traz uma lâmpada para colocá-la debaixo de um caixote, ou debaixo da cama? Ao contrário, não a põe num candeeiro? 22Assim, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto, e tudo o que está em segredo deverá ser descoberto. 23Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça”. 24Jesus dizia ainda: “Prestai atenção no que ouvis: com a mesma medida com que medirdes, também vós sereis medidos; e vos será dado ainda mais. 25Ao que tem alguma coisa, será dado ainda mais; do que não tem, será tirado até mesmo o que ele tem”.

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 
 

Liturgia comentada
Não há nada oculto... (Mc 4,21-25)

Sim, nada permanece oculto aos olhos de Deus, que tudo vê. O estulto tenta enganar-se: “O Deus de Jacó nada sabe!” (Sl 94,7.) O sábio reconhece em seu íntimo o olhar de Deus: “Senhor, te me perscrutas e me conheces... Uma palavra ainda não aflorou em minha língua, / e tu já a conheces.” (Sl 139,1.4.)

Viver sob o olhar de Deus é viver na verdade. O outro caminho é uma vida de mentiras e ilusões. Um faz-de-conta que sempre acaba mal.

Mas a frase de Jesus – “Nada há de oculto que não venha a ser descoberto” – não se refere apenas ao olhar de Deus. Inclui também os olhos humanos. Exatamente nestes dias, uma enxurrada de denúncias e revelações deu origem às CPIs que levaram à sarjeta tantas reputações e carreiras políticas.

É claro que, quando tais ilícitos foram cometidos, seus agentes contavam com a proteção do silêncio, dos biombos do poder, das muralhas do sistema. No entanto, um fato aparentemente ocasional (um vídeo gravado!) deflagrou todo o processo de re-velação, que ainda não chegou a seu desfecho nesta data em que estou escrevendo.

Aquele que optou pela mentira carrega um fardo permanente que vai corroendo a sua alma. Realiza um superesforço para manter na sombra aqueles crimes e pecados que, uma vez expostos à luz, poderiam destruir sua família, sua carreira, sua reputação. Independentemente de tais desastres, a própria consciência dói, reclama, acusa, condena. Os profissionais da área psicológica sabem muito bem que não existe nada mais destrutivo para o psiquismo humano que o sentimento de culpa. Um romance como “Crime e Castigo”, de Dostoiévski, retrata de modo magistral essa terrível experiência.

Como o Senhor nos ama e quer a nossa salvação, deixou nas mãos da Igreja um precioso dom: o sacramento da Reconciliação, conhecido como “confissão”. Ali, o pecador tem a oportunidade de manifestar seu arrependimento e contrição. Acusando-se de seu pecado, trazendo à luz o que ocultara nas sombras, abandona-se à misericórdia do Pai e recebe das mãos do ministro ordenado o perdão radical que brota do lado aberto de Cristo. Ao se erguer, vê-se livre do fardo que arrastava, do verme que o corroía, da opressão que o dominava.

Já não precisa esperar pelo Juízo Final para ver seu crime exposto aos olhos de todos. Já pode olhar de novo para o alto e dizer baixinho: “Meu Pai!”

Orai sem cessar: “Lava-me, e serei mais branco do que a neve!” (Sl 51,9)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos