L Liturgia

Liturgia de 20 de janeiro de 2018

SABADO DA II SEMANA DO TEMPO COMUM
(cor verde - ofício do dia)

Antífona da entrada

- Que toda a terra se prostre diante de vós., ó Deus, e cante louvores ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 65,4)

Oração do dia

- Deus eterno e todo-poderoso, que governais o céu e a terra, escutai com bondade as preces do vosso povo e dai ao nosso tempo a vossa paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Leitura: 2Sm 1,1-4.11-12.19.23-27


- Início do Segundo Livro de Samuel: Naqueles dias, 1Davi regressou da derrota que infligiu aos amalecitas, e esteve dois dias em Siceleg. 2No terceiro dia, apareceu um homem, que vinha do acampamento de Saul, com as vestes rasgadas e a cabeça coberta de pó. Ao chegar perto de Davi, prostrou-se por terra e fez-lhe uma profunda reverência. 3Davi perguntou-lhe: “Donde vens?” Ele respondeu: “Salvei-me do acampamento de Israel”. 4“Que aconteceu?”, perguntou-lhe Davi. “Conta-me tudo!” Ele respondeu: “As tropas fugiram da batalha, e muitos do povo caíram mortos. Até Saul e o seu filho Jônatas pereceram!” 11Então Davi tomou suas próprias vestes e rasgou-as, e todos os que estavam com ele fizeram o mesmo. 12Lamentaram-se, choraram e jejuaram até a tarde, por Saul e por seu filho Jônatas, e por causa do povo do Senhor e da casa de Israel, porque haviam tombado pela espada. 19E Davi disse: “Tua glória, ó Israel, jaz ferida de morte sobre os teus montes. Como tombaram os fortes! 23Saul e Jônatas, amados e belos, nem vida nem morte os puderam separar, mais velozes que as águias, mais fortes que os leões.
24Filhas de Israel, chorai sobre Saul. Ele vos vestia de púrpura suntuosa e ornava de ouro os vossos vestidos. 25Como tombaram os fortes em plena batalha! Jônatas foi morto sobre as tuas alturas. 26Choro por ti, meu irmão Jônatas. Tu me eras tão querido; tua amizade me era mais cara que o amor das mulheres. 27Como tombaram os fortes, como pereceram as armas de guerra!”

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 80,2-3.5-7 (R: 4b)

- Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!
R: Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!


- Ó Pastor de Israel, prestai ouvidos. Vós, que a José apascentais qual um rebanho! Vós, que sobre os querubins vos assentais, aparecei cheio de glória e esplendor ante Efraim e Benjamim e Manassés! Despertai vosso poder, ó nosso Deus, e vinde logo nos trazer a salvação!

R: Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!


- Até quando, ó Senhor, vos irritais, apesar da oração do vosso povo? Vós nos destes a comer o pão das lágrimas, e a beber destes um pranto copioso. Para os vizinhos somos causa de contenda, de zombaria para os nossos inimigos.

R: Resplandecei a vossa face, e nós seremos salvos!

Aclamação ao santo Evangelho

 

Aleluia, aleluia, aleluia.

Aleluia, aleluia, aleluia.

- Abri-nos, ó Senhor, o coração, para ouvirmos a palavra de Jesus!

(At 16,14)

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos: Mc 3, 20-21


- O Senhor esteja convosco.

- Ele está no meio de nós.

 

- Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.

- Glória a vós, Senhor!

- Naquele tempo, 20Jesus voltou para casa com os discípulos. E de novo se reuniu tanta gente que eles nem sequer podiam comer. 21Quando souberam disso, os parentes de Jesus saíram para agarrá-lo, porque diziam que "Ele está fora de si."

- Palavra da salvação.

- Glória a vós, Senhor!

 

Liturgia comentada
Está fora de si! (Mc 3,20-21)

A frase é dos “parentes” de Jesus. Os seus. E a tradução está adocicada, em forma de eufemismo. No texto da Vulgata, São Jerônimo traduziu: “in furorem versus est”. Na minha infância, se dizia “está doido furioso”.

Talvez devamos desculpar os familiares de Jesus de Nazaré. Afinal, depois de trinta anos de vida apagada, dedicado ao simples mister de carpinteiro, nas pegadas de José, Jesus deixa sua aldeia, cerca-se de seguidores e começa a se comportar como um misto de rabi e de profeta. Ou, quem sabe, aos olhos de muitos, como um agitador das massas... Era mesmo para pensar em desequilíbrio mental... Em sua inquietação, chegarão a pressionar a própria mãe de Jesus (cf. Mc 3,31-32) para ir trazê-lo de volta a Nazaré.

Bem, no fundo, eles tinham razão. Jesus estava mesmo “fora de si”. É sua marca registrada: estar fora de si, nunca girar em torno de si mesmo, mas ser uma pessoa centrífuga, sempre voltada para o outro, a ponto de não ter tempo de comer um pedaço de pão, afirma este Evangelho.

E não foi assim a vida dos santos? Quando foi que Madre Teresa de Calcutá teve tempo para ficar “dentro de si”? As andanças de João Paulo II, o globetrotter da fé no Séc. XX, o mantinham sempre “extro-vertido”, arrebatado para fora de si. Um homem assim abre mão do teatro, da literatura, da filosofia, do alpinismo e de todos os gostos pessoais para se dedicar tempo integral a uma missão avassaladora. E – curioso, não? – é exatamente a missão que irá revelar a verdadeira face do missionário: o santo.

Uma jovem bonita renunciar ao matrimônio, família e filhos, para se dedicar a crianças remelentas da África pobre? Loucura! Um jovem rico abrir mão da herança paterna para cuidar da saúde dos nativos do Congo? Loucura! Um casal de médicos recém-formados transferir-se para Rondônia e, ali, fazer de sua casa uma espécie de hospital permanente para pobres sem assistência médica? Loucura!

Benditos loucos! Só Deus sabe quanto bem espalharam à sua volta! Quantas vidas foram salvas! Quanta esperança foi semeada em um mundo de desesperos...

Ser cristão é imitar Jesus Cristo. Será preciso optar entre uma vida centrípeta – centrada nos próprios interesses, vantagens e comodidades – e uma vida “fora de si”. Neste último caso – e só assim - estaremos imitando Jesus.

Orai sem cessar:A loucura de Deus é mais sábia que os homens...” (1Cor 1,25)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

Livro

Enquete

Qual os temas do site da CCNA mais te chama atenção

Mais Lidos